• Da redação

Primeira PM mulher de Holambra assumirá atividades do PROERD


Aulas do programa terão início na segunda semana de agosto e serão conduzidas pela PM Andi Mastromonico


Holambra já pode contar com uma nova Policial Militar para a cidade. Andi Mastromonico, de 44 anos, é a primeira PM do sexo feminino a exercer a função na cidade das flores. Atuando na corporação há 21 anos, ela conta que iniciou a carreira na Grande São Paulo. Em entrevista ao site do Jornal da Cidade, a policial disse ter sido muito bem recebida pelos companheiros e moradores de Holambra e citou a abertura de espaço que a PM abriu para a inclusão de mais mulheres na profissão.

"Em São Paulo já era comum toda viatura ter um homem e uma mulher. Fui bem recebida e bem aceita pelos meus novos companheiros de farda e pelos moradores da cidade. Antigamente, o concurso para Policial Militar era separado para homens e mulheres, sendo 1.000 vagas para o masculino e 100 para o feminino. Quando eu entrei eram apenas 100 vagas para as mulheres. Agora os concursos são unificados, então se possuírem 3.000 vagas todas são tanto para homens quanto para mulheres. A polícia ampliou esta questão" , pontuou Andi.

Sobre sair da capital paulista e vir para o interior, a policial ressaltou como principal diferença a tranquilidade do município. "Em São Paulo temos muito mais ocorrências e no interior há mais tranquilidade, incluindo a receptividade das pessoas", concluiu a policial.

Além de complementar o grupo de Policiais Militares da cidade, Andi vem com uma missão muito importante, que já cumpriu tantas vezes, de assumir as aulas do PROERD - Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, que terão início na segunda semana de agosto.

O programa é realizado nas escolas públicas e particulares junto aos estudantes do 5º ano. As aulas são dedicadas aos alunos do 1º, do 5º e do 7º anos, porém, o último apenas aceita o projeto se no 5º ano os mesmos alunos já tiverem participado do PROERD. No geral, o projeto é dedicado mais aos alunos de 5º ano, visto que, por meio de estudos e conhecimentos da PM, são as crianças dessa faixa etária que começam a sentir curiosidade e dúvidas sobre o uso de drogas ilícitas. De acordo com Andi, a intenção é que todas as escolas participem e que a família também ajude na prevenção, pois ela é a principal filosofia do projeto.

"Nós pretendemos aplicar as aulas em todas as escolas de Holambra, tanto municipais quanto estaduais e particulares. A única escola onde ainda não obtive uma confirmação é a Escola São Paulo. O interessante é que todas as escolas participem porque, o que o Proerd aborda muitas vezes a escola não fala, os pais não falam e nenhum familiar fala. Então, a criança vai aprender na rua, e quando aprende na rua, aprende de forma errada. São 10 aulas, uma por semana e com duração de uma hora. A primeira aula consiste na apresentação do programa e é composto pela união entre Policia Militar, Escola e Família. São três pilares, se um deles falhar, a criança pode cair na curiosidade. Tentamos, da melhor maneira possível, afastar o perigo falando não só da droga, mas principalmente dos malefícios que ela causa. Cada aula aborda um tema e busca elevar a autoestima das crianças", explica Andi.

De acordo com a policial, o programa vem para prevenir as crianças e adolescentes não só do uso de drogas (tanto lícitas quanto ilícitas), mas também de situações de violência. Há relatos de crianças que conseguiram fazer os próprios pais pararem de beber ou fumar porque se conscientizaram de que é maléfico.

"As crianças geralmente entendem muito bem e até conversam com os pais sobre isso. Em conjunto, criamos um vínculo de amizade com os alunos, que muitas vezes nos procuram para conversar e desabafar e acabam também tirando aquela imagem de que o policial é ruim. Já conseguimos até mesmo tirar diversas crianças que estavam inseridas nesta triste realidade e que, com o andar das aulas e nosso apoio, foram deixando ela de lado e se conscientizando", garante Andi.

O método é universal, ou seja, todos os países que contam com o projeto possuem a mesma metodologia e as mesmas apostilas para seguir e aplicar. No final das aulas também é realizada uma redação, e o aluno vencedor é premiado com uma medalha pela dedicação.


O Sargento Souza, comandante da PM de Holambra há 1 ano e há 11 na Polícia Militar, também ressaltou a importância do programa na vida das crianças e adolescentes, mediante a realidade vivida atualmente.

Eu vejo o Proerd como de suma importância. Ainda mais mediante ao fácil acesso a informações que as crianças e adolescentes possuem atualmente, principalmente por meio da internet. A dificuldade que as famílias também têm, hoje em dia, de estar presente na vida destas crianças também é prejudicial. Sendo assim, o projeto vem para orientar o caminho que elas devem seguir", afirmou o sargento.


Sobre o PROERD

O Programa Educacional de Resistência às Drogas - PROERD é a adaptação brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistence Education - D.A.R.E., surgido em 1983. No Brasil, o programa foi implantado em 1992, pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, e hoje é adotado em todo o país.

O PROERD é um projeto onde os policiais militares, fardados e devidamente treinados, utilizando com material próprio (livro do estudante, camiseta e diploma) desenvolvem um curso de prevenção às drogas e a violência na sala de aula das escolas que acolhem a iniciativa.

#PoliciaMilitar #Holambra #cidadedasflores #Escolas #JornaldaCidade #drogas #violência #prevenção #PM #Brasil #norteamericano

28 views0 comments